Morena

los_hermanos_quatroMe bateu saudade de casa.

Não é saudade de São Paulo, ou do Brasil.

É uma nostalgia cheia de sons, imagens e cheiros daquela minha casa e daquela minha vida.

Onde eu acordava com o cheirinho do café da vizinha.

Onde passamos um Natal e um Ano Novo em família.

Onde tivemos festa surpresa de aniversário, pra mim e pra amigos queridos.

Onde cada detalhe tinha minha essência estampada.

Onde eu passava as tardes de domingo tomando sol no quintal e bebendo uma gelada.

Onde eu recebia meus amigos pra churrascadas insanas na Enterprise* ou pra jantares com temakis feitos em casa.

Onde eu passava o sábado bebendo champagne de roupão laranja.

Onde eu recebia meus amores pra noites quentes e pra calorosas discussões.

Onde eu cuidava das minhas plantas e do meu fiel amigo com todo carinho.

Onde eu chorava as pitangas assistindo um DVD da Sade e rachava o bico vendo um DVD da Gloria Estefan.

Onde eu fazia como, onde, com quem e o que eu queria.

Onde minhas noites eram de Norah Jones e meus dias eram de Los Hermanos.

Onde eu me sentia em casa.

*Enterprise era a churrasqueira monstra que eu tinha e parecia uma nave espacial.

Música: Morena (Los Hermanos)

Anúncios

Hey Brother

Avicii_Hey_BrotherQuando tomei a decisão de viajar, minha irmã foi a primeira a saber. Eu não tinha idéia ainda de como faria, havia apenas o desejo de morar fora do Brasil por um tempo. Estávamos no meu quarto e eu disse a ela sobre o que pretendia fazer. Ela teve certeza naquele instante de que eu daria um jeito de realizar isso, e caiu no choro. Eu ali, sem reação por alguns segundos, tentava entender o que ela repetia no meio das lágrimas:

– Minha vida vai ser um tédio sem você aqui!

Foi um chute no meu saco imaginário. A gente vive brigando, porque somos muito diferentes. A começar pelas gerações: são 21 anos de diferença entre nós, com ela agora entrando na “aborrescência”. Nas relações familiares sou meio bruta (herança da avó), já ela é carinhosa e distribui beijocas e abraços no melhor estilo Felícia (aquela do Tiny Toons). Minha irmã também é uma mini-perua que adora aprender a se maquiar pelos tutoriais do YouTube e que anda toda empetecada, enquanto eu ando de cara lavada com meu look jeans-camiseta-tênis todo santo dia.

Uma das poucas coisas que temos em comum é o gosto musical estranho. Não, não ouvimos as mesmas coisas, claro. Mas somos, digamos, igualmente peculiares sobre o que gostamos. Eu sou a estranha que ouve de Roupa Nova a Sepultura, de Elvis a Juanes. Ela escuta Demi Lovato, Katy Perry, Avicii e… rap nacional (como assim???), escolhas estas que me dão vontade de bater nela.

Apesar de todas as diferenças, ela é a única pessoa que me diz “te amo” olhando nos meus olhos, pra assegurar que eu entenda o quanto ela fala sério quando diz isso.

No dia D, a caminho de Cumbica com a família toda no carro, ela quis que eu escutasse essa música do Avicii que ela ama. Compartilhou o fone de ouvido comigo e disse que era pra eu lembrar dela sempre que escutasse o som. Ela cantou junto porque procurou a letra (em inglês) na internet para aprender dias antes.

Até agora não sei se ela sabe a tradução, esqueço de perguntar. Talvez de modo intuitivo ela simplesmente saiba o quanto faz sentido essa música para a gente. Eu só sei que ela acertou em cheio meu coração peludo de irmã mais velha e agora eu choro (de gratidão e de saudade) toda vez que escuto essa música. Tipo agora mesmo, chorando e escrevendo isso aqui.

Música: Hey Brother (Avicii)