Kissing a Fool

georgeSofro de saudade crônica daquilo que não vivi. Sinto falta de momentos de épocas diferentes desta, quando tudo apelaria mais profundamente aos meus sentimentos.

Por um infortúnio qualquer nasci tarde demais para ter chance de vivenciar tudo que me faz feliz. Cheguei atrasada nesse mundo e aprecio as coisas que tocam minha alma através das memórias alheias.

Mas nem por isso deixo de sonhar com o que é sublime para mim. Dentre as vontades bobas que coleciono, há uma especialmente doce. Imagino repetidamente em minha cabeça uma cena quase que tirada de algum filme antigo. Sonho com um baile, daqueles onde as mulheres se fazem presentes com seus pomposos vestidos longos e rodados, onde os homens chegam impecavelmente elegantes.

Uma noite de gala, com música boa (um pré-requisito) e gente interessante que goste de dançar. Drinques, um lindo luar, uma big band tocando sem parar. Aparece aquele homem de cair o queixo me convida para dançar. Sei lá como, mas a banda toca Kissing a Fool. Nessa hora o mundo congela e eu só quero saber de deslizar pelo salão nos braços dele. Nada mais importa. Sendo feliz como se não houvesse amanhã (suspiros).

* Texto postado originalmente no Vodka com Fanta.

Música: Kissing a Fool (George Michael)